frase marco2017

As hormonas da pílula

O teu guia

rapariga à janela

A pílula é o método contracetivo mais comum entre as mulheres, mas o que sabemos realmente acerca das hormonas que compõem cada um daqueles comprimidos?

 

Como sabemos, a pílula é um método contracetivo hormonal – são as hormonas libertadas na corrente sanguínea através da ingestão da pílula que inibem a ovulação e impedem a gravidez

Existem, essencialmente, dois tipos de pílula no mercado: a pílula combinada – que contém doses de estrogénio e de progestagénio – e a pílula sem estrogénio, apenas composta por progestagénio.

Em qualquer um dos casos, estes comprimidos contêm hormonas sintetizadas para mimetizar as hormonas presentes naturalmente no nosso corpo – estrogénio e progesterona.

Estrogénio, a hormona feminina por excelência

O estrogénio é a principal hormona sexual feminina. É ela a responsável pelas alterações corporais que sofremos na puberdade (as nossas curvas femininas) e, juntamente com a progesterona, pela evolução do nosso ciclo menstrual – sim, culpem-na pelos desejos por chocolate e possíveis ataques de choro.

Durante o aleitamento, os níveis de estrogénio no corpo da mulher são geralmente mais baixos, o que explica que a pílula combinada não seja aconselhada nesta fase.

O estrogénio é o responsável pela maior parte dos efeitos acessórios associados às pílulas combinadas – pode causar inchaço e aumento de peso, perda de desejo sexual, dores de cabeça e cansaço. Associado ao estrogénio vem o risco de tromboembolismo, por isso, o teu médico deve avaliar os teus fatores de risco - se és fumadora, por exemplo.

Progesterona, a hormona do equilíbrio

Outra das mais importantes hormonas femininas é a progesterona. A sua principal função é equilibrar os efeitos do estrogénio. A queda dos níveis desta hormona no fim do ciclo menstrual leva à perda do revestimento uterino formado para preparar o corpo para uma possível a gravidez – causando a menstruação. Esta hormona tem níveis mais elevados durante a gravidez e aleitamento.

 

A escolha da pílula deve funcionar numa base individual, tendo em consideração o conselho do médico e, simultaneamente, as tuas preferências – não vale ir à farmácia pedir a pílula que a tua amiga toma sem falares com o teu médico primeiro! 

O teu médico deve apresentar-te todos os métodos contracetivos que existem e, com o seu conselho, devem ambos ver o que se adequa mais às tuas necessidades.

Se procuras contraceção de longa duração existem soluções que atuam sobretudo localmente libertando hormonas no útero, diminuindo assim a exposição do teu organismo a estas hormonas. Curiosa?

 

Informa-te e descomplica! 😊

 

###

Referências bibliográficas:

https://lifestyle.sapo.pt/saude/saude-e-medicina/artigos/estrogenio-e-progesterona

https://mood.sapo.pt/efeitos-dos-estrogenios-na-mulher/

https://womeninbalance.org/about-hormone-imbalance/

https://www.healthline.com/health/high-estrogen

http://www.yourhormones.info/hormones/progesterone/