frase marco2017

Fui fazer o teste do HIV

Querem saber a história?

rapariga à janela

Estou numa relação nova, ainda bastante recente, e o tema das DST surgiu em conversa. Apercebi-me que nunca tinha feito o teste do VIH, então decidi que estava na altura de o fazer.

 

ritadescomplicaEu e o meu namorado começámos uma relação há relativamente pouco tempo. Estávamos a conversar e surgiu o tema das DST. Ele disse-me que é muito cuidadoso em relação a essa questão e que, quando inicia uma nova relação, a primeira coisa que faz é o teste do VIH.

Esta nossa conversa pôs-me a pensar e apercebi-me que nunca tinha feito este teste, talvez porque acabamos sempre por achar que as doenças sexualmente transmissíveis nunca nos vão atingir. Cheguei à conclusão de que estava na altura de fazê-lo, mesmo quando tenho 100% confiança no meu parceiro. Isto porque até eles podem não saber se têm algum problema ou não – sem um teste, penso que apenas a abstinência pode dar 100% de certeza!

Primeiro fui online saber onde poderia fazer o teste. Existem duas possibilidades: nos Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce do VIH (CAD), onde são gratuitos e confidenciais e demoram cerca de uma hora; ou através de análises ao sangue prescritas pelo médico, que podem demorar até uma semana.

Como tenho uma médica ginecologista em quem confio muito e partilho tudo sobre a minha saúde, decidi marcar uma consulta – aproveitamos e até estivemos a falar sobre mais umas dúvidas que eu tinha sobre o meu SIU – e saí do consultório com o papel para os exames das DSTs.  Algo muito importante que a minha médica disse e que vale a pena aqui referir é que os testes podem não ser 100% fiáveis no início da infeção, pois os vírus e anticorpos do HIV têm uma concentração demasiado fraca no sangue para serem detetados. Só passados 3 meses do comportamentio de risco é que é possível ter a certeza se estamos infetados ou não.

Fui no mesmo dia tirar sangue. Confesso que aconteceu-me algo estranho neste processo: apesar de estar muito confiante sobre o resultado, passou-me pela cabeça os mais variados cenários: “será que não tenho mesmo nada?” ; “mas então e daquela vez que aconteceu aquilo?”; “será que afinal confiei muito na sorte?” – penso que faz parte e que temos que saber não “panicar”.   

Passado alguns dias, o resultado do teste chegou e…. UFA! Deu negativo. Estou livre deste vírus!

O que aprendi com esta situação foi que toda a gente, sem exceção, deve fazer este teste. Mesmo que aches que não tens comportamentos de risco, deves fazê-lo. Foi, também, uma forma de tranquilizar o meu namorado. Estamos os dois seguros, pelo que podemos continuar a nossa relação de forma mais descansada.

Se ainda não fizeste o teste, ou não tens a certeza em relação ao teu parceiro, o preservativo é o teu melhor amigo! É o único método que te protege do HIV ou de qualquer outra infeção sexualmente transmissível 😊

Depois de leres isto, vais fazer o teu teste, certo?

Chuack Chuack,
Rita #descomplica